Quem tudo xarope.

Fevereiro 22, 2008
Para que servem as lições de moral?
Será para nos educarem?
Para nos conservarem?
Como se a terra fosse apenas redonda!
Prefiro um cão vadio no olhar de uma lágrima em espera.
A quem diga “comeste-me a carne agora terás que roer-me os ossos!”
Mas o dedo mindinho tem outra utilidade.
Sempre que escrevo, nada prevejo.
Há alturas em que me deixo ir, apenas voo.
Um dia olhei-me e nada vi, ri.
As metáforas nem estão lá.
Quando a tristeza ressona, salto.
Aquelas coisas que sonhamos todos… de voar e acordamos antes de cair, será?
Porventura existe um chão no fim da rua?
Os caracóis têm medo de cigarros, que vício.
Recebi um sms que dizia, “é agora ou nunca”.
Prefiro o nunca. Não me perco mais.
Abençoado o dia que o mesmo fez 10 anos, passei em silêncio.
É sempre assim, a certeza mora no último dos lugares por descobrir.
 
Flávio Andrade

Slogan

Fevereiro 22, 2008

RAIOS OS PARTAM!

Luiz Pacheco


Migalhas mins

Fevereiro 22, 2008
Estou com medo de mim, ouvi por aí…
Estou em um sapo…
Estou com quem?…
Estou agora aqui, eu disse…
Estou entre o tu e o eu…
Estou sempre na mesma, sem lesma…
Estou à procura de quem?….
Estou apenas…
Estou nem mais…
Estou cem, paciência…
Estou só…
Estou paralelamente transversal em linha…
Estou agarrado ao mínimo ponto de fuga…
Estou a caminho…
Estou debaixo do solo de vidro…
Estou gafanhoto seara…
Estou puramente viscoso…
Estou…

Flávio Andrade